Clube de leitura 2019

Antes de tudo, o clube de leitura não se trata de aplicar um método psicanalítico de leitura aos textos literários, muito menos de “superinterpretá-los”, mas de nos deixar ser tocados por seus efeitos e nos interrogar sobre o que a literatura tem a nos ensinar. Esta é uma atividade aberta ao público que propõe uma experiência de leitura e conversação sobre autores e obras da literatura que foram e são reverenciados pela psicanálise desde os tempos de Freud até hoje.

Freud, desde o início da psicanálise, colocou-se a escutar o que as mulheres de sua época tinham a dizer, seja no divã, nas universidades, na literatura ou onde mais elas pudessem se fazer escutar. Assim, a partir da psicanálise, a construção da feminilidade vai apontar para as versões que uma mulher constrói daquilo que não se pode falar. Versões, pois a verdade assim como Ⱥ mulher, é também não-toda. Como já disse Clarice Lispector: […] a vida é impronunciável, e é com Clarice que mudamos o tom do Clube de leitura neste segundo semestre, pois no primeiro nos dedicamos à leitura de três obras de James Joyce, restando ainda para o mês de agosto algumas páginas de Ulysses conforme o cronograma de leitura e encontros:

23 de agosto | Ulysses – James Joyce (últimos capítulos: 16, 17 e 18)

27 de setembro | Água viva – Clarice Lispector 

25 de outubro | Medéia – Eurípedes 

22 de novembro | Madame Bovary – Gustave Flaubert 

Os encontros serão realizados com a frequência de uma vez ao mês às sextas-feiras, 18h. Local: Blend. Cafés & Livros CLS 405 Bloco C Loja 38 Asa Sul. Atividade gratuita e aberta ao público em geral. Coordenação: Flávia Tereza | flaviatereza@gmail.com | (61) 99272 5005

Antes de tudo, o clube de leitura não se trata de aplicar um método psicanalítico de leitura aos textos literários, muito menos de “superinterpretá-los” mas, de nos deixar ser tocados por seus efeitos e nos interrogar sobre o que a literatura tem a nos ensinar. Esta é uma atividade aberta ao público que propõe uma experiência de leitura e conversação sobre autores e obras da literatura que foram e são reverenciados pela psicanálise desde os tempos de Freud até hoje.

Para Freud, a aliança da psicanálise com a literatura passa pela estrutura do saber inconsciente: E os escritores criativos são aliados muito valiosos, cujo testemunho deve ser levado em alta conta, pois costumam conhecer toda uma vasta gama de coisas, entre o céu e a terra, com as quais a nossa filosofia ainda não nos deixou sonhar. Estão bem adiante de nós, gente comum, no conhecimento da mente, já que se nutrem em fontes que ainda não tornamos acessíveis à ciência (Freud, [1907]1976, p.18,).

No primeiro semestre de 2019 nosso percurso de leitura trará três obras de James Joyce, quais sejam: Dublinenses (1914), Um retrato do artista quando jovem (1904-1914) e Ulisses (1921). O primeiro livro seria uma aposta de entrada no mundo da escrita de James Joyce, o segundo de conhecermos alguns importantes personagens que encontraremos durante a leitura do terceiro e último livro do semestre, Ulisses.

A leitura dos textos de Joyce são muito importantes para acompanhar o que Lacan trabalha durante o seminário 23 e além disso, a escolha das leituras se deu com o desígnio de estarmos em consonância com o BLOOMSDAY 2019 – Lacan leitor de Joyce que acontecerá nos dias 15  e 16 de junho no Rio de Janeiro onde comemoraremos mais um aniversário da obra do escritor irlandês James Joyce, comemoração que já se tornou uma tradição para os colegas do Formações Clínicas do Campo Lacaniano – RJ onde convidam a comunidade à participar das festividades e produções científicas em torno da temática. O Bloomsday celebra o dia em que se passa o livro ULISSES, de James Joyce, 16 de junho de 1904. Joyce é um dos mais inovadores autores do século XX, referência de Lacan no Seminário XXIII, O Sinthoma. Na ocasião estará presente de Collete Soler (Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano – França e Formações Clínicas do Campo Lacaniano – Paris).  Soler foi membro da antiga Escola dissolvida por Jacques Lacan em 1980, esteve na origem do movimento dos Fóruns do Campo Lacaniano e de sua Escola Internacional de Psicanálise.

Os encontros serão realizados com a frequência de uma vez ao mês às
sextas-feiras, 17h.
Local:  SEPS 707/907 Edifício San Marino Sala 213.
Atividade gratuita e aberta ao público em geral.
Coordenação: Flávia Tereza | flaviatereza@gmail.com | (61) 99272 5005
Cronograma de leitura e encontros:
Dublinenses: fevereiro, dia 22
Um retrato do artista quando jovem: março, dia 22
Ulysses: abril, dia 26 | maio, dia 24 | junho, dia 28

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo